Nomeação de Adão e Silva para comissário dos 50 anos do 25 de Abril debaixo de fogo

PSD, CDS e IL criticam tanto a escolha como as condições remuneratórias de que vai usufruir durante cinco anos e meio. Costa e Marcelo defendem Adão e Silva

Foto

A nomeação do comentador socialista Pedro Adão e Silva para comissário executivo das comemorações dos 50 anos do 25 de Abril está a “incendiar” a discussão política. Em causa está o perfil da personalidade escolhida, mas sobretudo a duração da nomeação — cinco anos e quase sete meses — e as condições remuneratórias de que vai usufruir: cerca de 4500 euros brutos por mês, mais uma equipa de apoio de até 12 pessoas, que inclui motorista e secretário pessoal.