Moção e regionalização: um presente envenenado?

Quase 50 anos depois do 25 de Abril, é evidente que o princípio da subsidiariedade não vem sendo respeitado e que a centralização continua a ser um dos males do país. É urgente voltarmos a ser chamados a uma pronúncia séria, em sede de referendo, como a Constituição exige.

A moção com que António Costa se recandidata a secretário-geral do PS, intitulada “Recuperar Portugal, garantir o futuro”, abriu a porta à esperança para quem defende a regionalização, apontando uma data (2024) para um amplo debate sobre o tema. Em face de um PR historicamente contrário à ideia, nessa altura estaremos na recta final do seu mandato.