Por favor, não deixem o mutualismo morrer

No momento mais negro da sua história, só uma solução ampla e consensual, que esteja ao serviço dos associados, poderá assegurar a continuidade de uma instituição que tem um papel impar e insubstituível na sociedade portuguesa.

A previdência em Portugal “tem a sua origem remota nas corporações das artes e ofícios, de origem medieval, cuja extinção apenas tem lugar em 1834” (Pereirinha e Carolo, 2006).