Peru joga a sua governabilidade em presidenciais imprevisíveis

A segunda volta das eleições presidenciais peruanas é disputada por Keiko Fujimori, filha do antigo ditador, e Pedro Castillo, um sindicalista de esquerda.

Foto
Keiko Fujimori e Pedro Castillo durante o último debate presidencial, a 31 de Maio Reuters/SEBASTIAN CASTANEDA

Profundamente divididos, os peruanos escolhem este domingo o próximo Presidente da República, que terá como principal missão superar a enorme polarização que tem imperado na sociedade. Se a campanha que antecedeu esta segunda volta serve de termómetro, o mais provável é que o ambiente de crise se mantenha independentemente de quem venha a ocupar a Casa de Pizarro.