“É claro que a federação está em crise financeira”

A Federação Portuguesa de Padel terá eleições este ano, mas Ricardo Oliveira garante que ainda não decidiu se vai recandidatar-se. O dirigente frisa que mantém “boas negociações” com a Câmara Municipal de Oeiras para construir a “Cidade do Padel”.

Foto
Nelson Garrido

Falou dos cortes do IPDJ. Como está a Federação Portuguesa de Padel (FPP) a nível financeiro? Está com problemas?
Os meus clubes tiveram todos problemas. É óbvio que a federação teve problemas. A federação, no ano passado, teve menos 3500 licenças emitidas do que no ano anterior. 3500 licenças vezes 30 euros são 100 mil euros. Torneios, em vez de se realizarem 160, como é normal, realizaram-se, se calhar, 80. Pense em 15% das inscrições disso tudo e pense em mais 60 ou 70 mil euros. A federação teve menos receita. Reduziram o orçamento do IPDJ, é claro que a federação está em crise financeira. Agora, levarmos um chimbalau de quase 200 mil euros só em filiações e torneios, e conseguirmos chegar ao fim do ano com contas equilibradas, não me parece uma má gestão.