Instagram

Neste mundo pintado a aguarela, os animais declamam poesia e soltam palavrões

Amber Fossey
Fotogaleria
Amber Fossey

Preguiças, manatins, bisontes e avestruzes são alguns dos animais que acolhem, em cor e versos, quem visita Zeppelin Moon, o mundo criado por Amber Fossey. Especializada em Psiquiatria Forense, a médica britânica tornou-se artista a tempo inteiro num processo que descreve como “uma montanha-russa”. Hoje já lançou um livro – Be Wild, Be Free (Sê Selvagem, Sê Livre, numa tradução livre para português) –, onde dá vida a criaturas que, entre a poesia e o humor, têm muito a dizer. “Eu não quero fazer arte enjoativa ou repleta de clichés fabricados. A minha arte, primeiro, tem de me fazer rir, ser algo que eu própria gostaria de ler ou pendurar na parede”, explica a artista ao P3.

Uma verdadeira “amante de bestas”, Amber pinta animais incomuns e ameaçados para ilustrar o que vai escrevendo. Entre mensagens de empoderamento e exaltação a diferentes espécies, não são raras as vezes em que a bicharada se serve de impropérios para expressar o que pensa. Apesar de, à primeira vista, as delicadas aguarelas parecerem indicadas para os mais novos e de Amber “ter o sonho de escrever e ilustrar livros para crianças”, a artista é clara: este é um livro com ilustrações para adultos. “Sou um ser humano que luta contra o stress todos os dias, como todos os outros, e que pragueja para lidar com isso. Por vezes, também praguejo na minha arte porque isso para mim é a vida real”, explica.

Inspirada pelas particularidades de cada animal, que acredita ter “o seu próprio superpoder surpreendente”, retrata também vídeos e imagens que lhe chegam através da conta que gere no Instagram. Baseando-se em cenas reais, cria e ilustra poemas e fábulas de fantasia. Apesar de considerar a rede social o seu “lugar feliz” e fonte de descoberta de diferentes espécies, para Amber basta abrir a porta da rua para entrar num mundo maravilhoso. “Mesmo que vá para o jardim e olhe para o chão, dentro de poucos minutos vejo um insecto estranho a fazer algo fantástico, que me fará apaixonar novamente pelo planeta inteiro.”

Texto editado por Ana Maria Henriques

Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Amber Fossey
Sugerir correcção