Rasgar os céus de Trás-os-Montes nas asas de Graça Morais

Os voos de baptismo organizados pelo Aero Clube de Bragança estão de regresso e repetem-se todos os domingos. Embarcámos numa das primeiras viagens e vimos de cima as cores com que se pintam a cidade e arredores.

passeios,trasosmontes,arte-contemporanea,braganca,fugas,turismo,
Fotogaleria
Rui Oliveira
passeios,trasosmontes,arte-contemporanea,braganca,fugas,turismo,
Fotogaleria
Rui Oliveira
passeios,trasosmontes,arte-contemporanea,braganca,fugas,turismo,
Fotogaleria
Rui Oliveira
passeios,trasosmontes,arte-contemporanea,braganca,fugas,turismo,
Fotogaleria
Rui Oliveira
Voar
Fotogaleria
Rui Oliveira
Viagem aérea
Fotogaleria
Rui Oliveira
Fotografia aérea
Fotogaleria
Rui Oliveira

Da janela frontal do lado direito do pequeno Cessna 172, colorido com duas pinturas de Graça Morais, já se consegue ver as centenárias muralhas que protegem a torre de menagem do Castelo de Bragança. O formato em coração, impossível de ser percepcionado por quem deambula pelas estreitas ruas da cidadela, é apenas mais uma composição entre os campos lavrados, igrejas de outros tempos e manchas de água que rasgam o solo brigantino. Tudo cores que se conjugam com o mosaico de urzais, estevais e giestais, do Parque Natural do Montesinho, visto a mais de três mil pés.