Isto é gozar com quem trabalha

A Microsoft tem uma subsidiária na Irlanda que apresentou um lucro de 260 mil milhões de euros no ano de 2020. Sabe que imposto foi pago sobre este lucro anual gigantesco, quase equivalente a toda a dívida pública portuguesa? Nada, nem um cêntimo.

Se fizermos um raio-x ao sistema de impostos sobre o rendimento, há um facto que salta à vista: o universo de contribuintes líquidos é dominado pelos trabalhadores – são os rendimentos do trabalho o pilar da receita dos impostos diretos. Ter um trabalho por conta de outrem é a base da condenação ao castigo pelo cobrador de impostos, seguido ao longe pelos trabalhadores independentes e muito mais à distância pelas empresas. É em meados de junho que a propaganda liberal assinalará o dia da libertação dos impostos, mas essa é a mentira que coloca todos como iguais enquanto esconde que é o salário que mais contribui para o financiamento do Estado e dos serviços públicos.