Centro Pompidou vai abrir uma filial nos Estados Unidos

O museu parisiense chegou a acordo com a câmara de Jersey City, em frente a Nova Iorque, para instalar num edifício industrial centenário a sua futura sucursal americana, que deverá ser inaugurada em 2024.

Foto
DR

O Centro Georges Pompidou, que acolhe o Museu Nacional de Arte Moderna francês, vai abrir uma nova filial em Jersey City, uma cidade em acelerado desenvolvimento que fica em frente a Nova Iorque, na margem oposta do rio Hudson, e que se virá assim somar às que o centro parisiense, presidido por Serge Lasvignes, já criou em anos recentes em Málaga (2015), Bruxelas (2018) e Xangai (2019).

Segundo o New York Times, que avançou a notícia esta sexta-feira de manhã, a autarquia de Jersey City, presidida por Steven Fulop, assumirá o encargo de remodelar para o efeito um edifício industrial centenário de quatro andares – o Pathside Building, construído em 1912 –, que foi tendo vários usos até ter sido comprado em 2018 pelo município, que evitou a sua transformação num complexo residencial já com a intenção de ali instalar uma instituição ligada às artes.

O projecto ficará a cargo do gabinete OMA, dirigido por Rem Koolhaas, o arquitecto da Casa da Música do Porto, e os custos da obra ainda não estão definidos, tendo sido apenas avançada a estimativa de que se situarão entre os 10 e os 30 milhões de dólares. A cidade pagará ainda anualmente ao museu francês uma verba para desenvolvimento de projectos, branding, programas educativos e organização de exposições que poderá chegar a 6 milhões de euros, disse uma fonte da autarquia ao New York Times.

Ainda não se sabe quem irá assumir a direcção artística do futuro museu, que se chamará Centre Pompidou x Jersey City e não será apenas uma galeria, mas um centro multicultural apetrechado para acolher conferências, exibir filmes ou apresentar performances.