PÚBLICO ficou em segundo lugar nos Global Media Awards na categoria de redes sociais

O PÚBLICO apresentou-se a concurso com um conjunto de trabalhos desenvolvidos para a rede social Instagram ao longo deste ano de pandemia.

Foto
O Instagram é cada vez mais importante como forma de distribuição noticiosa Nuno Ferreira Santos

O PÚBLICO obteve o segundo lugar na edição de 2021 dos Global Media Awards na categoria de Melhor Uso de Redes Sociais/Marcas Nacionais, onde concorria com a revista The Economist (Reino Unido), o jornal New Zealand Herald (Nova Zelândia), o diário Hindustan Times e a revista India Today (ambos da Índia), e o grupo Blick (Suíça). Os Global Media Awards são atribuídos pela International News Media Association (INMA), organização que reúne jornalistas e meios de 72 países, incluindo a Reuters, o The New York Times, o The Washington Post ou o The Guardian. A revista The Economist ficou em primeiro lugar na mesma categoria.

O PÚBLICO apresentou-se a concurso com um conjunto de trabalhos desenvolvidos para a rede social Instagram ao longo deste ano de pandemia. Nessa rede, onde soma agora mais de 400 mil seguidores, o jornal tem apostado em descodificar e explicar os grandes temas noticiosos a uma audiência tendencialmente mais jovem através de uma abordagem multimédia, conjugando vídeo, fotografia, infografia e texto, com um especial foco no combate ao coronavírus e à desinformação.

A estratégia nasce de uma estreita colaboração entre as equipas de redes sociais, de design e de análise de dados, adaptando-se diariamente à imprevisibilidade da actualidade noticiosa. O resultado tem sido um forte crescimento do número de seguidores do jornal no Instagram (mais 109 mil durante o ano de 2020), uma subida do número de interacções por parte dos leitores (70%), e um aumento das visitas ao site do PÚBLICO com origem no Instagram (172%).

Para além do Instagram, e num contexto de rápida mudança dos hábitos de consumo dos leitores, acelerado pela pandemia, o PÚBLICO tem investido em canais como o Twitter, o YouTube, as newsletters, os podcasts e o recentemente lançado Público Ao Vivo, um conjunto de programas em directo com os jornalistas e cronistas do diário, e os seus convidados.

O PÚBLICO foi o primeiro media nacional a abrir uma conta nesta rede social, em Setembro de 2011, através do site P3, que se notabilizou na divulgação de trabalhos fotográficos pensados para o Instagram. O jornal tem apostado nesta rede como forma de atingir um público mais jovem, de explorar formas mais visuais e contemporâneas de jornalismo, e de encontrar alternativas de distribuição às redes sociais predominantes.