David Diop vence Booker International Prize de 2021

O autor é o primeiro francês a ser distinguido pelo galardão, que recompensa obras traduzidas para inglês no ano anterior.

Foto
O autor num encontro literário na China em 2019 VCG / Getty Images

At Night All Blood is Black (Frêre d'âme, no original), o segundo livro do francês de origem senegalesa David Diop (e o primeiro a ser traduzido para inglês), é o vencedor do prémio Booker International de 2021, foi anunciado esta quarta-feira. A obra foi traduzida por Anna Mocschovakis, que com o autor dividirá a meias um prémio pecuniário de 50 mil libras (pouco mais de 58 mil euros).

O romance de Diop acompanha a história de Alfa Ndiaye, um soldado senegalês que chega a França para combater na Primeira Guerra Mundial. O protagonista começa a perder o controlo emocional — e torna-se mais irascível — depois de um amigo de infância morrer na frente ocidental.

At Night All Blood is Black é “uma história de guerra, mas também de amor, da camaradagem daqueles jovens que combatem juntos e das relações extraordinariamente intensas que se formam entre aqueles que estão a arriscar a vida lado a lado”, comentou Lucy Hughes-Hallett, presidente do júri. A historiadora e ficcionista anunciou o vencedor do Booker Prize a partir da Catedral de Coventry.

Filho de mãe francesa e pai senegalês, David Diop nasceu em Paris em 1966. Lançado originalmente em 2018 e traduzido para inglês no ano passado, Frêre d'âme  foi um best-seller em França, onde entrou na shortlist de dez prémios literários e foi distinguido com o Prix Goncourt des Lycéens.

Na cerimónia desta quarta-feira, Lucy Hughes-Hallett elogiou os 125 livros que competiram pelo Booker Prize e destacou a importância do trabalho de tradução. “Se queremos verdadeiramente relacionar-nos com países que não falam inglês, temos de entrar nas suas imaginações. E é a ficção que nos permite isso. Nestes meses, nós, os jurados, pouco saímos de casa, e no entanto percorremos o mundo inteiro”, afirmou.

Da shortlist do Booker Prize 2021 constavam cinco outros livros: The Dangers of Smoking in Bed, de Mariana Enríquez (traduzido por Megan McDowell), When We Cease to Understand the World, de Benjamin Labatut (traduzido por Adrian Nathan West), The Employees, de Olga Ravn (traduzido por Martin Aitken), In Memory of Memory, de Maria Stepanova (traduzido por Sasha Dugdale) e The War of the Poor, de Éric Vuillard (traduzido por Mark Polizzotti).

A editora portuguesa Relógio d'Água, anunciou entretanto que vai publicar o romance premiado de David Diop ainda este mês, traduzido por Miguel Serras Pereira.