Isenção de impostos a estrangeiros envolvidos na final da Champions pode ser inconstitucional

Bacelar Gouveia enviou à provedora de Justiça uma exposição sustentando que o regime especial é “vexatório” para o Estado de Direito e considera os contribuintes portugueses como “cidadãos de segunda categoria”.

politica,portugal,uefa,irs,impostos,tribunal-constitucional,
Fotogaleria
Adeptos do Chelsea, equipa vencedora da final Rui Oliveira,Rui Oliveira
Bacelar Gouveia considera que a isenção fiscal é "vexatória" para os portugueses
Fotogaleria
Bacelar Gouveia considera que a isenção fiscal é "vexatória" para os portugueses Rui Gaudencio

O constitucionalista Jorge Bacelar Gouveia considera que o diploma que consagra a isenção de IRC e IRS atribuída às estruturas e cidadãos estrangeiros envolvidos na final da competição UEFA Champions League 2020-2021, no Porto, é “obviamente inconstitucional” e até “vexatório daquilo que há de mais elementar nos valores que subjazem a um Estado de Direito que se queira dar ao respeito, e que sobretudo não se queira ‘agachar’ a interesses espúrios”.