O que estão a fazer as Igrejas de outros países: demissões, tribunais e fundos para indemnizar as vítimas

Em países como França e Alemanha houve levantamento de casos, demissões e predisposição para indemnizar as vítimas em resposta aos apelos do Papa Francisco. Em Espanha reinam a “passividade e o silêncio”.

Foto
Andre Rodrigues

No final de Março, a Conferência Episcopal Francesa (CEF) reconheceu a sua “cegueira e surdez” perante os abusos sexuais de menores perpetrados no seu seio e, aceitando as suas responsabilidades “passadas, presentes e futuras”, anunciou a criação de um tribunal canónico nacional para julgar os casos que, segundo as conclusões de uma comissão independente encarregue de estudar o assunto, terá somado mais de dez mil vítimas, num horizonte temporal que recua a 1950.