A direita portuguesa entre saudosismo, neo-saudosismo e ultra-saudosismo

É com o futuro, e não com o passado, que se vão ganhar as próximas eleições. Competir para ver quem é mais saudosista não parece uma boa fórmula para a direita dar a volta às sondagens.

Que ninguém diga que há falta de escolha ou pluralismo entre a direita portuguesa. Como ficou esta semana patente através da reunião magna que foi a convenção do MEL, o povo português tem muito por onde optar, entre o saudosismo que oferecem uns e o neo-saudosismo de outros. Para quem gosta de emoções fortes, há ainda uma oferta arrojada de ultra-saudosismo. É cada cor seu paladar. Prefere bafiento ou bolorento? Se quiser, temos aqui um cheiro a mofo que é uma especialidade. E que tal rançoso? Posso interessá-lo neste rançoso?