Hospital de Faro recebe 27 crianças com indícios de intoxicação alimentar

As crianças frequentam a Escola Básica de 2.º e 3.º ciclos Dr. João Lúcio, na Fuseta, concelho de Olhão.

Foto
O fornecimento das refeições é feito pela Cruz Vermelha Portuguesa Daniel Rocha

Um total de 27 crianças foram esta quinta-feira transportadas para a unidade pediátrica do Centro Hospitalar Universitário do Algarve, em Faro, “com sintomas compatíveis com intoxicação alimentar”, mas sem necessidade de internamento, disse à agência Lusa fonte daquela unidade hospitalar.

O Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Faro referiu que o incidente ocorreu na Escola Básica de 2.º e 3.º ciclos Dr. João Lúcio, na Fuseta, concelho de Olhão.

Contactado pela agência Lusa, o presidente da Câmara Municipal de Olhão, António Pina, disse que estava “a tentar saber pormenores”, indicando que, possivelmente, se trataria de uma situação de intoxicação alimentar.

O autarca acrescentou que o fornecimento das refeições à escola em questão é feito pela Cruz Vermelha Portuguesa. “Está contratualizado com eles”, completou. A Lusa tentou contactar sem sucesso a delegação de Faro-Loulé da Cruz Vermelha.

Fonte do Hospital de Faro referiu que, até às 18h20, deram entrada naquela unidade de saúde “12 crianças, encontrando-se as mesmas em observação clínica”. A mesma fonte referiu que até essa hora, e “de acordo com a primeira avaliação, não há nenhuma situação grave”.

O CDOS de Faro referiu também que no local estiveram duas ambulâncias da Cruz Vermelha, três do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e uma ambulância da Associação Humanitária de Bombeiros Faro-Cruz Lusa.

O alerta para esta ocorrência foi às 15h50, de acordo com a informação disponível no site da Autoridade Nacional de Emergência e Protecção Civil (ANEPC).

Esta notícia foi actualizada às 23h30 do dia 27 de Maio de 2021 com a actualização do número de crianças que foram recebidas no Hospital de Faro.