Novas ciclovias vão ligar Lisboa aos concelhos vizinhos

Fundo Ambiental vai comparticipar a construção de oito ciclovias na Grande Lisboa e uma entre a Covilhã e o Fundão.

Foto
patricia martins

Lisboa e os quatro concelhos vizinhos vão estar ligados por novas ciclovias até ao fim do próximo ano. Serão também construídas pistas para bicicletas entre a Amadora e Odivelas, Amadora e Sintra e entre Odivelas e Loures. Fora da Grande Lisboa, está aprovada a criação de uma ciclovia entre a Covilhã e o Fundão.

Foram assinados esta quarta-feira os contratos que permitem a vários municípios aceder a um financiamento estatal de 3,8 milhões de euros para a criação de ciclovias intermunicipais. O Fundo Ambiental aprovou nove projectos, com um valor total de 12,3 milhões de euros, que representam cerca de 46 quilómetros.

Desses, quase metade (19,9) vai ser criada entre Lisboa e os vizinhos mais próximos. Está prevista uma ciclovia de 9,9 quilómetros entre o Restelo e Algés (Oeiras), outra com 5,5 km entre Benfica e a Amadora, uma terceira com 2,1 km entre o Lumiar e Odivelas, mais duas até Loures: dos Olivais a Moscavide (1,4 km) e do Parque das Nações a Sacavém (1 km).

A construção ficará a cargo da Empresa Municipal de Mobilidade e Estacionamento de Lisboa (EMEL), que desde há uns anos vem sendo responsável pela implementação da rede ciclável da cidade. Em comunicado, a empresa adianta que tenciona ter os seus 5,6 quilómetros de ciclovia prontos até ao fim de 2022. O restante depende de cada uma das autarquias que esta quarta também receberam um cheque do Governo.

O projecto mais caro é o da ciclovia entre Benfica e a Amadora, com um custo a rondar os 2,8 milhões de euros e uma comparticipação estatal de 642 mil euros. A ligação entre Amadora e Sintra deverá custar 2,1 milhões e o Fundo Ambiental entra com 537 mil euros. Já as ciclovias entre Amadora e Odivelas, Odivelas e Loures e Lisboa e Oeiras ficarão, cada uma, entre 1,2 e 1,7 milhões de euros, recebendo um apoio do Estado que varia entre os 332 mil e os 649 mil euros. As duas ligações entre Lisboa e Loures terão um valor total de 1,3 milhões de euros e uma comparticipação de 233 mil euros.

Lisboa anunciou há cerca de um ano a criação de 16 novas ciclovias instantâneas (ou pop-up), incluindo em algumas das principais avenidas da cidade. O plano devia ter sido concluído até Setembro, mas ainda hoje há locais onde nenhuma intervenção foi feita. É o caso da Av. da Índia, da Baixa, da Av. de Ceuta ou da Av. das Descobertas. Decorrem actualmente os trabalhos na Av. de Berna e na Av. Almirante Reis.

Fora da Área Metropolitana de Lisboa, o Fundo Ambiental vai apoiar a construção de uma ciclovia entre o Fundão e a Covilhã com um custo total de 981 mil euros e uma comparticipação de 490 mil. Trata-se de uma ligação com cerca de 13 quilómetros entre os dois centros urbanos, passando também pelas respectivas zonas industriais.

O aviso do Fundo Ambiental através do qual estes projectos serão financiados foi lançado em 2019 e tinha uma dotação total de oito milhões de euros, mas só menos de metade foi atribuída porque não apareceram mais candidaturas. Em 2020 houve um novo aviso com vista à construção de mais ciclovias intermunicipais, cujos resultados ainda não foram divulgados.