Alcácer do Sal estreia novo transporte colectivo no início do mês

Município assume gestão de sistema para ligar bairros periféricos ao centro da cidade

Foto

A partir do dia 1 de Junho, Alcácer do Sal vai ter a funcionar um novo sistema de transporte urbano colectivo, gerido pela câmara municipal, para a deslocação entre os bairros periféricos e o centro da cidade.

O serviço, denominado Nónio, em homenagem ao dispositivo inventado por Pedro Nunes, matemático e astrónomo dos Descobrimentos, nascido neste concelho do litoral alentejano, foi a forma que a autarquia encontrou para tentar ultrapassar a crónica falta de transportes públicos numa cidade que não dispõe de carreiras urbanas.

“O Município de Alcácer do Sal constituiu-se como operador municipal de transportes e assume a 100% a gestão directa do sistema”, disse ao PÚBLICO o presidente da autarquia. Vítor Proença sublinha tratar-se de um “serviço público”, uma vez que “os proveitos não vão cobrir os custos de operação”, mas que o executivo municipal decidiu avançar por estar em causa “uma necessidade para as pessoas, que apontam a mobilidade como uma das prioridades que mais valorizam”.

De acordo com o autarca, a Câmara de Alcácer do Sal optou pela gestão municipal depois de perceber que o recurso ao sector privado teria custos superiores. “Pedimos orçamentos a operadores [de transportes] e era mais caro. Assim, reduzimos custos e temos o volante na mão”, sintetiza Vítor Proença.

E o volante destas carreiras está literalmente na dependência directa do município. Os motoristas dos dois autocarros que vão fazer os três circuitos previstos são funcionários da autarquia que é a proprietária dos veículos.

Os cerca de 30 quilómetros, assim como o modelo de gestão e a bilhética foram definidos com base num estudo elaborado pela consultora TIS. Os circuitos, de cerca de 10 quilómetros cada, passam por todos os bairros dos limites da cidade, com ligação aos principais locais de serviços e equipamentos no centro urbano, como o mercado, zonas comerciais, repartição de finanças e edifícios municipais.  

Os dois novos autocarros vão circular nos dias úteis, entre as 7h00 e as 13h00, com passagens pelo centro da cidade a cada 30 minutos.

O bilhete individual custa 1 euros, o diário 2,5 euros, cinco viagens 4 euros e dez viagens 7 euros. Todos estes bilhetes podem ser adquiridos à entrada do veículo. Já os passes, tanto o mensal (16 euros) como o social (9,60 euros), destinados a maiores de 65 anos ou pessoas com carências económicas, são vendidos nos serviços técnicos municipais, no centro urbano.

Os autocarros, de 12 lugares, nesta fase de pandemia permitem uma lotação máxima de dois terços, e ambos estão equipados com plataforma elevatória para cadeiras-de-rodas, nas traseiras.

O concelho de Alcácer do Sal, um dos maiores do país em extensão territorial, tem 11.600 habitantes, sendo que na cidade vivem cerca de 6.500 pessoas.