Passos Coelho diz que “terá muito gosto” em ouvir Rui Rio

Ex-líder do PSD assistiu às primeiras horas da III Convenção do Movimento Europa e Liberdade.

Foto
Pedro Passos Coelho conversa com Luís Mira Amaral, durante a 3.ª Convenção do MEL LUSA/JOÃO RELVAS

Discretamente sentado numa quinta linha de cadeiras, Pedro Passos Coelho assistiu às primeiras horas da III Convenção do Movimento Europa e Liberdade (MEL), a decorrer esta terça e quarta-feira em Lisboa, e aceitou fazer uma breve declaração aos jornalistas. “Deixem-me dizer uma coisa rápida, porque não gosto que andem atrás de mim, mas percebo o vosso interesse em ouvir alguma coisa da minha parte: vim assistir com muito interesse a esta convenção, como de resto fiz nas duas anteriores. Julgo que há um espaço de debate e de liberdade que é muito importante de estimular e promover no país, sobretudo quando as nossas tarefas de natureza política, económica e social são tão desafiantes, agravadas com as circunstâncias que vivemos nesta crise pandémica”, declarou o ex-primeiro-ministro, durante o intervalo da manhã. 

Apesar de não ter intervenção no programa da convenção, Passos Coelho saudou ainda o encontro por “juntar tantas pessoas com currículo notável, com experiência e sobretudo pessoas que têm a dar tanto ao país em diversas áreas”. Questionado sobre se vai assistir aos dois dias de trabalhos e se vai ouvir amanhã Rui Rio, o antigo primeiro-ministro disse ser “difícil” estar sempre presente, mas adiantou que conta assistir à intervenção do actual líder do PSD. “No caso de Rui Rio, presidente do PSD, terei muito gosto em ouvi-lo”, disse. 

Já depois destas declarações, Passos Coelho estava na sala (entretanto mudou para a primeira fila) onde decorrem os trabalhos quando um dos oradores, Adelino Maltez, se referiu ao ex-líder social-democrata como estando presente, o que motivou uma salva de palmas por parte dos participantes. 

O ex-presidente do PSD (2010-2018) tem intervindo publicamente de forma muito pontual, desde que deixou a liderança do partido. 

Esta primeira manhã da convenção é encerrada pela intervenção do deputado e líder da Iniciativa Liberal, João Cotrim Figueiredo. O primeiro dia de trabalhos será encerrado pelo líder do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos. Amanhã estão previstas as intervenções dos líderes do Chega e do PSD.