Pedrógão Grande: advogados dos arguidos defendem que combater o incêndio era “impossível”

Início do julgamento fica marcado pela capacidade reduzida da sala de audiências e pela interrupção para greve dos oficiais de justiça.

Foto
O incêndio ocorreu a 17 de Junho de 2017 Adriano Miranda

O combate era impossível e tudo o que podia ter sido feito foi feito – esta é a tese de vários advogados de defesa que optaram por se pronunciar na primeira sessão de um julgamento que senta no banco dos réus 11 arguidos e que começou nesta segunda-feira, no Tribunal de Leiria. O objectivo: apurar a responsabilidade pelos incêndios de Pedrógão Grande.