Aumenta pressão para cessar-fogo após novos bombardeamentos violentos em Gaza

Morreram já mais de 200 pessoas no território palestiniano, e dez em Israel. França, Egipto e Jordânia tentam pressão diplomática. Conselho de Segurança da ONU marcou reunião para esta terça-feira.

faixa-gaza,cisjordania,palestina,medio-oriente,egipto,onu,
Fotogaleria
Cenário após ataque israelita em Gaza MOHAMMED SALEM/Reuters
faixa-gaza,cisjordania,palestina,medio-oriente,egipto,onu,
Fotogaleria
MOHAMMED SALEM/Reuters
faixa-gaza,cisjordania,palestina,medio-oriente,egipto,onu,
Fotogaleria
SUHAIB SALEM/Reuters
faixa-gaza,cisjordania,palestina,medio-oriente,egipto,onu,
Fotogaleria
Casa atingida por rocket do Hamas em Ashdod, Sul de Israel RONEN ZVULUN/Reuters

O conflito entre Israel e o Hamas entrou esta segunda-feira na segunda semana, em mais um dia de fortes ataques na Faixa de Gaza, que se intensificaram no fim-de-semana. No território palestiniano morreram um total de 201 pessoas, entre as quais 58 crianças, e mais de mil foram feridas, segundo as autoridades de saúde. O Exército israelita diz que matou mais de 130 membros do Hamas e da Jihad Islâmica na Faixa de Gaza. Do lado israelita, foram registadas dez mortes, incluindo duas crianças, pelos rockets lançados pelo Hamas e Jihad Islâmica – mais de 3000, a maioria interceptados pelo sistema de defesa área Iron Dome.