Príncipe Harry: fazer parte da família real é “um misto entre o The Truman Show e estar num zoo”

Duque de Sussex voltou a tecer duras críticas à monarquia britânica. Numa entrevista, esta quinta-feira, Harry diz ainda ter recebido do pai “muita dor e sofrimento”.

Foto
Harry mostra-se, hoje, satisfeito com a mudança para os EUA Reuters/DYLAN MARTINEZ

A vontade em virar as costas à monarquia, afinal, não é recente. Harry, o filho mais novo do herdeiro da coroa britânica, confessou, durante uma entrevista ao podcast Armchair Expert, do actor Dax Shepard, que essa necessidade vem desde os seus 20 e poucos anos, por causa do que a vida da realeza fez à mãe, a princesa Diana (1961-1997), contrariando as teorias de que tudo teria sido orquestrado por Meghan Markle.

No entanto, também o pai é em parte responsável pela decisão de se afastar de tudo e todos. É que o príncipe diz querer “quebrar o ciclo”, uma resolução que se começou a desenhar quando percebeu que a forma como o príncipe Carlos o tratava era uma cópia de como este tinha sido tratado pelos seus pais, a rainha Isabel II e o falecido príncipe Filipe.

A conversa, a propósito do lançamento da nova série da Apple TV+ sobre saúde mental, The Me You Can't See, que co-produz com Oprah Winfrey e que estreia na próxima semana, acabou por ser uma revisitação à infância do príncipe.

Considerando que o pai lhe transmitiu “muita dor e sofrimento”, Harry pretende não passar esse testemunho aos filhos — Archie, de dois anos, e a menina que está a caminho. “Nós, como pais, deveríamos fazer o máximo que pudéssemos para tentar dizer [aos filhos]: ‘Sabem uma coisa? Isto aconteceu comigo, por isso vou certificar-me de que isto não te acontece’”. Resultado: “Aqui estou eu (…), por vezes temos de tomar decisões e pôr a nossa família em primeiro lugar.”

O príncipe também recordou o seu passado de jovem rebelde, admitindo ter experimentado marijuana e apanhado várias bebedeiras nos seus 20 anos. Porém, considera que esses comportamentos não eram mais do que um reflexo da “infância traumática”. Afinal, explica Harry, ser da família real britânica é “um misto entre o The Truman Show e estar num zoo”.

O filme The Truman Show – A Vida em Directo, de 1998, com Jim Carrey no papel principal, mostrava como a vida de alguém era secretamente acompanhada por um reality-show, no qual todos sabiam ser personagens, menos o protagonista.

Mas, explica Harry, esse papel é visto como “um emprego”, que se tem de suportar com um sorriso no rosto. E continua: “Eu tinha 20 e poucos anos e pensava: ‘Não quero este trabalho, não quero estar aqui.’”

O duque, que perdeu os seus patrocínios e patentes militares este ano, mostra-se, hoje, satisfeito com a mudança, declarando sentir-se muito melhor: “Os meus ombros descontraíram-se, os dela [de Meghan] também.”