Se as eleições legislativas fossem hoje, ficava tudo quase na mesma

Sondagem da Católica para o PÚBLICO e a RTP revela pequenas variações nas intenções de voto desde as legislativas de 2019. Nem o crescimento do Chega e da Iniciativa Liberal - entretanto estabilizados - alteram a relação de forças entre a esquerda e a direita. “Geringonça” soma 51% e se agregar o PAN atinge os 54% das intenções de voto.

Foto
Se as legislativas fossem agora, pouco mudava no parlamento Nuno Ferreira Santos

Não vale a pena acenar com crises políticas ou provocar eleições antecipadas. Se as eleições legislativas fossem hoje, podia ficar tudo praticamente na mesma como saiu das eleições legislativas de 2019, tendo em conta a sondagem do Centro de Estudos e Sondagens de Opinião (Cesop) da Universidade Católica para a RTP e o PÚBLICO. As oscilações dos grandes partidos e dos que têm participado no arco da governação são mínimas e nem mesmo o crescimento exponencial do Chega e da Iniciativa Liberal mudariam a relação de forças entre a esquerda e a direita.