És comunista e não sabias

E assim temos o paradoxo de que governos que as esquerdas mais radicais consideram ser pouco ambiciosos e tomar medidas insatisfatórias do ponto de vista do progressismo podem ao mesmo tempo ser considerados comunistas e reféns da “extrema esquerda” por setores importantes da direita.

No suplemento de economia de um jornal sério, o Expresso, o gestor Luís Todo Bom assinava uma crónica na qual comparava a política espanhola e portuguesa, culminando nos seguintes parágrafos: