Homenagem da Cinemateca Francesa a Paulo Branco reagendada para Junho

Ao todo, serão 33 os filmes do produtor português que vão passar em Paris. O ciclo estava planeado para Fevereiro, mas foi adiado.

Foto
Paulo Branco será alvo, pela segunda vez, de uma homenagem na Cinemateca Francesa Nuno Ferreira Santos

Soube-se em Setembro que, pela segunda vez, a Cinemateca Francesa iria homenagear Paulo Branco, o produtor português que já fora alvo de um ciclo da mesma instituição em 1992. A homenagem ficou marcada para Fevereiro, mas acabou por ser adiada, até porque as salas de cinema francesas permanecerão encerradas até ao próximo dia 19. Será afinal a partir de 23 de Junho, anunciou esta quarta-feira a produtora Leopardo Filmes, que 33 dos mais de 300 filmes produzidos por Paulo Branco vão ser mostrados em Paris.

Os filmes exibidos, que incluem obras de vários realizadores de relevo do panorama português, europeu e até norte-americano, vão de 1980, ano de Francisca, de Manoel de Oliveira (cujos Vale Abraão e Vou Para Casa também serão exibidos), até 2019, com A Herdade, de Tiago Guedes. Pelo meio, haverá títulos como SilvestreBranca de Neve e Vai e Vem, de João César MonteiroA Cidade Branca, de Alain Tanner, O Estado das Coisas, de Wim Wenders, L'Enfant de l'hiver, de Olivier Assayas, Casa de Lava, de Pedro Costa, ou A Cativa, de Chantal Akerman.

Há ainda espaço no programa para Werner Schroeter, Jacques Rozier, Laurence Ferreira Barbosa, Raúl Ruiz, Philippe Garrel, Sharunas Bartas, Michel Piccoli, Cédric Kahn, Jean-Claude Biette, Marie Vermillard, José Álvaro Morais, Andrzej Żulawski, Christophe Honoré, Hugo Vieira da Silva, Emmanuelle Cuau, Jerzy Skolimowski, David Cronenberg e Mathieu Almaric. 

Branco, que fez carreira entre Portugal e França, estará na Cinemateca Francesa para apresentar os filmes e conversar com alguns convidados.