PSD propõe vacinação imediata dos profissionais do turismo

Conselho estratégico nacional do PSD avança com pacote de 15 medidas para “salvar época turística em Portugal”.

Foto
Rui Rio LUSA/EDUARDO COSTA

Vacinar “no imediato os profissionais do turismo” é uma das 15 medidas propostas pelo PSD para ajudar o sector do turismo a aproveitar o retomar gradual das viagens no Verão e, ao mesmo tempo, a evitar novos surtos de covid-19.

Num documento divulgado esta tarde, a secção do turismo do conselho estratégico nacional (CEN) do PSD propõe um conjunto de acções “todas elas de curto prazo” e que, em “alguns casos”, têm por base “boas práticas” que estão a ser adoptadas pelos países concorrentes. A adopção das medidas "exigirá ao Governo mais do que retórica, e sim foco, coragem e determinação, tendo implícito o reconhecimento, pelos vários níveis da administração do Estado e das diversas áreas sectoriais, que o turismo, é, de facto, um sector estratégico na economia nacional, e que não perdeu esse estatuto na pandemia”, lê-se no documento com as propostas que assumem ter como objectivo “salvar a época turística do Verão em Portugal”. 

No caso da vacinação, os sociais-democratas pedem uma alteração nas actuais orientações das autoridades de saúde. Pretendem dar prioridade aos profissionais do turismo, sobretudo aos que têm contacto directo com os clientes, uma medida que já está a ser aplicada em “países concorrentes de Portugal como a Croácia, Turquia e República Dominicana”. Por outro lado, o PSD propõe “acelerar tanto quanto possível” a administração de vacinas “às populações das regiões de maior relevância turística, “sem que isso prejudique o planeamento global definido pelas autoridades sanitárias”.

Entre as medidas propostas está também a reabertura imediata das fronteiras, “abrindo-se, assim, a possibilidade de realização de viagens por razões não essenciais para todas as pessoas vacinadas, com teste à covid-19 negativo e provenientes de países com uma boa situação epidemiológica”.

Exigindo uma coordenação de várias entidades governamentais, o PSD defende também a disponibilização de testes a um preço simbólico aos turistas que vão necessitar deles para o seu regresso e a realização em hotéis e farmácias com o envio dos resultados directamente para os telemóveis dos clientes, com QR Code para o check-in na partida.

Na chegada dos turistas, os sociais-democratas propõem o lançamento de um mecanismo célere de monitorização e verificação das condições de recepção dos passageiros nos aeroportos nacionais, “tomando como referência o trabalho realizado pela Região Autónoma da Madeira”.

Além da criação de uma ferramenta informativa de apoio à tomada de decisão pelo turista, "ajudando-o na escolha de Portugal como o seu destino de viagem”, o PSD defende a monitorização de medidas tomadas por destinos concorrentes no sentido de as acompanhar, com vista a evitar “perdas de competitividade”.

 A mesma monitorização deveria ser aplicada à evolução da imunidade colectiva dos principais mercados emissores para tomar uma “melhor decisão quanto às opções promocionais prioritárias a realizar”. Essa promoção deveria ser fortalecida com “verbas robustas” para “estimular a retoma junto dos mercados com maior imunidade colectiva”. Como exemplo, o documento do CEN aponta Nova Iorque que “vai investir 30 milhões de dólares no plano promocional de recuperação pós-covid”.