Partido Trabalhista procura cura para (mais) uma ressaca eleitoral difícil

Remodelação promovida por Starmer motivou quase tantas críticas como a sua estratégia para as eleições locais. Mensagem política voltou a falhar no Norte e Centro de Inglaterra.

Foto
Keir Starmer, líder do Partido Trabalhista HENRY NICHOLLS/Reuters

Reforçou as votações em grandes centros urbanos como Londres, Manchester ou Liverpool, manteve o controlo do parlamento e do governo do País de Gales e até conquistou alguns lugares interessantes aos conservadores no Sul de Inglaterra. Não obstante, todos os feitos alcançados pelo Partido Trabalhista nas eleições locais e regionais da passada quinta-feira no Reino Unido acabaram ofuscados por um desempenho muitíssimo abaixo das expectativas nos antigos bastiões operários do Centro e do Norte de Inglaterra, perdidos para o Partido Conservador nas últimas eleições legislativas (2019), e cuja recuperação foi definida pela liderança trabalhista como fundamental para aspirar a um regresso ao poder.