PSP preparada para festejos do Sporting na terça-feira

Polícia tinha equacionado adeptos nas ruas esta segunda-feira, mas vitória do FC Porto adiou festejos dos “leões”. Sporting, Câmara Municipal e PSP em articulação para possível celebração em Lisboa na terça-feira.

Foto
Adeptos do Sporting durante jogo em Alvalade (2019) LUSA/MIGUEL A. LOPES/Arquivo

A Polícia de Segurança Pública (PSP) teria principalmente um trabalho de “prevenção” para esta segunda-feira, dia em que podia ter ficado confirmada a conquista do título do Sporting: um desfecho adiado pelo menos durante 24 horas pelo FC Porto, que goleou o Farense, no Estádio do Dragão, por 5-1. Ainda antes da partida dos “dragões”, fonte oficial desta força policial admitia ao PÚBLICO que o planeamento da operação do título se concentrava principalmente nesta terça-feira.

“Para hoje [segunda-feira], o que temos previsto é principalmente prevenção. Se o Sporting for campeão, só amanhã [terça-feira] se realizarão os festejos. Hoje podem existir grupos [nos principais locais de Lisboa], mas não será uma celebração organizada”, explicou a fonte ouvida pelo PÚBLICO, ainda ante de se conhecer o resultado do encontro que se disputou no Estádio do Dragão.  Os pormenores das operações montadas para a operação do título serão divulgados pela PSP, ao final da manhã desta terça-feira, em conferência de imprensa.

Contudo, a PSP destacou agentes para os principais locais de celebração na cidade de Lisboa, procurando assegurar a manutenção da ordem pública e o cumprimento das medidas de segurança impostas pela pandemia – como o distanciamento social e uso de máscara. Apesar de, como admite a fonte ouvida pelo PÚBLICO, esse ser um ponto difícil de controlar.

Clube e autarquia reuniram-se para discutir plano dos festejos 

Para esta terça-feira, dia em que o Sporting poderá assegurar o título com uma vitória frente ao Boavista, ainda não são conhecidos os planos dos festejos caso os “leões” conquistem o campeonato esta jornada, mas já são públicas as reuniões entre o clube, as autoridades e a Câmara Municipal de Lisboa. Uma das hipóteses equacionadas será a deslocação da equipa num autocarro panorâmico, decorado para o efeito, pelas ruas de Lisboa. 

O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, deixou um apelo na última semana, pedindo que os festejos do título não comprometam os “números muito baixos” da pandemia: “Neste momento, em que estamos a ver ‘a luz ao fundo do túnel’​, com a vacinação a avançar bem, ninguém pode cometer a irresponsabilidade de tomar, promover ou autorizar algum acto que ponha em causa o que os portugueses com tanto sacrifício conquistaram: o facto de termos hoje números muito baixos.”

Os virologistas e infecciologistas ouvidos pelo PÚBLICO na sexta-feira defendiam em uníssono o controlo de lotação no local designado para os festejos. Celso Cunha, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical da Universidade Nova de Lisboa, defende que seja decretado o modelo usado na Festa do Avante! – uma pessoa por nove metros quadrados –, algo que colocaria a lotação máxima do Terreiro do Paço em quatro mil adeptos.