Botellones, fiesta, polícia, “imagens lamentáveis”: espanhóis celebraram o fim do estado de emergência

Praça da Porta do Sol, Madrid Reuters/SUSANA VERA
Fotogaleria
Praça da Porta do Sol, Madrid Reuters/SUSANA VERA

“Os botellones e as festas sem medidas de segurança tomam conta das ruas no fim do estado de emergência”, titula o El País sobre os festejos da última noite. Em Madrid, a festa fez-se sobretudo na Porta do Sol – e motivou 450 intervenções da polícia, mas sem incidentes. Em Barcelona, os festejos obrigaram as autoridades a dispersar 6500 pessoas em várias praças. Em Palma de Maiorca 16 pessoas foram feridas e quatro agentes da polícia ficaram feridos.

Com 80.000 mortes com covid-19 desde o início da pandemia e a incidência da doença ainda acima do recomendável, os especialistas citados pelo El País estimam que o regresso à normalidade em Espanha não acontecerá em menos de um ano.

Por isso, os festejos sem cuidados têm gerado críticas em Espanha. “São imagens lamentáveis”, disse este domingo o presidente da Câmara de Madrid, José Luis Martínez-Almeida.

Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Praça da Porta do Sol, Madrid
Praça da Porta do Sol, Madrid Reuters/SUSANA VERA
Praia da Barceloneta, Barcelona
Praia da Barceloneta, Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Praia da Barceloneta, Barcelona
Praia da Barceloneta, Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Ronda, Andaluzia
Ronda, Andaluzia Reuters/JON NAZCA
Praia de Barcelona
Praia de Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Barcelona
Barcelona Reuters/NACHO DOCE
Sugerir correcção