Faltou ao trabalho por não ter onde deixar a filha. Empresa vai ter de o indemnizar por despedimento abusivo

Condutor do metro de superfície de Almada chegou a levar criança consigo na cabina durante viagens, até ser proibido de o fazer pelo chefe. Agora o MTS vai ter de o indemnizar por o ter mandado embora de forma abusiva.

Foto
Fábio Augusto

A empresa que gere o metro de superfície de Almada e Seixal despediu um condutor que faltou ao trabalho por não ter onde deixar a filha, uma menina de oito anos que depois do divórcio ficou a seu cargo.