Exames, análises e mais dentistas nos centros de saúde. PRR destina 465 milhões a cuidados primários

Governo diz que “actual oferta dos cuidados de saúde primários precisa de ser reformada, qualificada e alargada”. Entre as medidas está a criação de centros de diagnóstico integrado, dando aos centros de saúde mais capacidade para fazer análises e exames.

Foto
Reuters/MAGALI DRUSCOVICH

Dos mais de mil milhões de euros que o Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) designa para a área da saúde, a maior fatia vai para os cuidados de saúde primários num plano de investimento até 2026: são 465,5 milhões de euros. A reforma nesta área já leva 15 anos, mas o Governo admite que que há assimetrias nas respostas. Por isso, afirma que a “actual oferta dos cuidados de saúde primários precisa de ser reformada, qualificada e alargada, apostando no reforço das respostas aos cidadãos, na transformação digital, na sustentabilidade energética das instalações e em soluções colaborativas e de proximidade”.