Casos e mortes por covid-19 descem nos países ricos, mas explodem nos pobres

Ao mesmo tempo que os países mais ricos se congratulam com a descida dos contágios, no Sul da Ásia há países com um aumento vertiginoso de novos casos. E a OMS avisa: em África pode acontecer o mesmo.

Foto
Índia atingiu esta sexta-feira um novo máximo diário de mortes Reuters/DANISH SIDDIQUI

A redução do número de mortes e casos diários de covid-19 nos países mais desenvolvidos e o avanço na vacinação da população, com a imunidade de grupo já na mira, chegam quase a soar como o fim da pandemia no Ocidente. Contudo, no Sul da Ásia e em países com menos recursos, a realidade é bem mais dramática: os hospitais estão perto do colapso, com falta de camas e oxigénio, o número de infecções sobe de forma galopante e faltam vacinas. A última semana evidenciou duas realidades: os números caem nos países ricos, mas à situação grave da Índia juntam-se agora as do Nepal, do Sri Lanka e das Maldivas. O Brasil continua sem conseguir respirar de alívio e África teme uma nova vaga.