Morreu Bo, o cão de água português que acompanhou a família Obama na Casa Branca

Barack e Michelle Obama lamentaram morte do animal de companhia nas redes sociais.

impar,estados-unidos,animais,eua,michelle-obama,barack-obama,
Fotogaleria
LUSA/MICHAEL REYNOLDS
impar,estados-unidos,animais,eua,michelle-obama,barack-obama,
Fotogaleria
LUSA/MIKE THEILER / POOL
impar,estados-unidos,animais,eua,michelle-obama,barack-obama,
Fotogaleria
LUSA/MICHAEL REYNOLDS
impar,estados-unidos,animais,eua,michelle-obama,barack-obama,
Fotogaleria
LUSA/MICHAEL REYNOLDS
Fotogaleria
LUSA/MICHAEL REYNOLDS
Fotogaleria
LUSA/MICHAEL REYNOLDS

Aquele que chegou a ser o cão mais famoso dos Estados Unidos desapareceu este sábado. Bo, o cão da família Obama durante a passagem pela Casa Branca, morreu de cancro, segundo anunciou o antigo Presidente dos EUA, Barack Obama. O cão de água português foi acolhido logo após a campanha que levou à eleição do primeiro Presidente negro dos EUA, em 2008.

Obama prestou homenagem ao animal nas redes sociais, partilhando uma das mais icónicas fotografias da sua passagem pela Casa Branca. “Hoje a nossa família perdeu um verdadeiro amigo e um companheiro leal. Por mais de uma década, Bo foi uma presença constante e gentil nas nossas vidas - feliz por nos ver nos nossos dias bons, nos nossos dias maus e em todos os outros dias. Ele tolerava toda a confusão que acontecia na Casa Branca, ladrava muito, mas não mordia, adorava saltar para a piscina no Verão, era muito calmo com as crianças, vivia para comer as migalhas à volta da mesa de jantar e tinha um cabelo lindo. Ele era exactamente o que precisávamos e muito mais do que esperávamos. Sentiremos muita falta dele.”

Tal como Barack, a antiga primeira-dama dos EUA, Michelle Obama, expressou a sua tristeza nas redes sociais, em seu nome e das filhas.

O nome do cão tinha sido escolhido pelas filhas do Presidente, Sasha e Malia, porque os seus primos tinham um gato chamado Bo. “No ano passado, como estávamos todos em casa durante a pandemia, ninguém estava mais feliz do que o Bo. Toda a família estava sob o mesmo tecto novamente - exactamente como no dia em que o acolhemos”, diz a ex-primeira-dama. “Como família, vamos sentir muito a falta do Bo. Mas estamos gratos por ele ter vivido uma vida tão alegre, cheia de aconchego, brincadeiras e noites passadas deitado no sofá”.

Michelle deixou ainda um pedido: “Por favor, abrace os membros peludos da sua família um pouco mais perto esta noite — e dê-lhes umas festinhas na barriga”.

O cão de água português foi escolhido para ir morar para a Casa Branca por esta raça canina ser considerada adequada a pessoas com alergias, como era o caso de Malia.

Depois de Barack Obama, o mandato de Donald Trump na Casa Branca não contou com um cão na sede da presidência norte-americana, em quebra da “tradição”. Mas Joe Biden, o actual Presidente dos EUA, voltou a restabelecer a normalidade: Champ e Major são os actuais residentes caninos da Casa Branca, tendo no entanto sido retirados temporariamente da sede da presidência, em Março, depois de Major ter mordido um segurança.