Aluna do sexto ano dispara contra dois colegas e um funcionário numa escola no Idaho

Os estudantes foram atingidos nos membros e um deles pode precisar de cirurgia. A rapariga tirou a arma da mochila e disparou várias vezes no interior e exterior do estabelecimento de ensino.

Foto
A rapariga atirou várias vezes no interior e exterior da escola em Rigby, Idaho, nos EUA HANNAH BEIER/Reuters

Uma menina do sexto ano levou uma arma para a Escola Básica de Rigby, na quinta-feira, na cidade com o mesmo nome do estado norte-americano de Idaho, disparando várias vezes e atingindo dois estudantes e um funcionário. A aluna, com onze ou 12 anos, foi depois desarmada por uma professora e ficou sob custódia.

As três vítimas foram atingidas nos membros e espera-se que resistam aos ferimentos, disseram as autoridades numa conferência de imprensa, citada pela Associated Press. De acordo com o xerife do condado de Jefferson, Steve Anderson, a rapariga tirou a arma da mochila e disparou várias vezes no interior e exterior do estabelecimento de ensino.

“Eu e o meu colega estávamos noutra aula com o nosso professor, estávamos a trabalhar, e de repente ouvimos um barulho muito alto e depois mais dois. Depois ouvimos gritos”, disse Yandel Rodriguez, de 12 anos, em declarações à agência. “O nosso professor foi confirmar o que se passava, e encontrou sangue”, continuou.

A polícia foi chamada por volta das 9h15 depois de estudantes e funcionários ouvirem o tiroteio. A escola foi depois evacuada, com os alunos levados para uma escola secundária.

Sexta-feira as escolas do distrito vão permanecer encerradas para os estudantes estarem com as famílias, com orientadores psicológicos disponíveis a partir do mesmo dia.

Os estudantes que ficaram feridos foram transportados até ao hospital, e um deles pode precisar de cirurgia, disse o médico Michael Lemon, do Centro Médico Regional do Leste de Idaho, segundo a AP. Ainda assim, podem vir a ter alta na sexta-feira. Quanto ao funcionário, a bala saiu por uma extremidade e já teve alta.

“Não temos muitos detalhes neste momento sobre as causas, mas o caso está a ser investigado”, disse Anderson, acrescentando que as autoridades estão a “seguir as pistas”.

O promotor do condado de Jefferson, Mark Taylor, avançou que não seriam tomadas decisões sobre as acusações até a investigação estar completa embora estas possam incluir três tentativas de homicídio, admitiu.

Este será o segundo tiroteio numa escola do estado de Idaho. Em 1999, um estudante disparou várias vezes numa escola secundária em Notus. Ninguém foi atingido, mas um estudante foi ferido pelo ricochete dos destroços.