Padre condenado a pena suspensa de mais de quatro anos de prisão por furtar arte sacra e esmolas

António Teixeira desviou peças antigas da diocese de Santo Condestável, em Lisboa, para comprar carros e custear outras despesas pessoais, concluiu tribunal. Agora vai recorrer da sentença. Apoiar prostitutas e toxicodependentes serviu de atenuante.

Foto
Enric Vives-Rubio

Seguido por mais de dois mil fiéis no Facebook, o padre António Teixeira foi esta quinta-feira condenado em tribunal por ter desviado arte sacra e esmolas da paróquia do Santo Condestável, em Lisboa, para comprar carros e custear outras despesas pessoais. Um dos três juízes do colectivo do Campus da Justiça responsáveis pelo veredicto votou, porém, contra a decisão dos colegas. A magistrada Helena Leitão, que dirigiu o julgamento, considerou que devia ter sido absolvido, mas como estava sozinha nesta posição o sacerdote acabou por ser sentenciado a uma pena suspensa de quatro anos e seis meses de prisão.