Depois de um discurso conciliador, Marcelo homenageia militares portugueses sepultados na Guiné

Na visita oficial à Guiné-Bissau, o Presidente da República vai prestar tributo aos combatentes que ali morreram na Guerra Colonial e cujo corpo nunca regressou a Portugal.

Foto
O Presidente da Guiné-Bissau esteve em Portugal em Outubro passado Rui Ochoa/Presidência da República

Foram precisos muitos anos e muito trabalho para reunir, no cemitério de Bissau, os restos mortais de 400 militares portugueses, caídos na Guiné-Bissau durante a Guerra Colonial e cujos corpos nunca foram trasladados para Portugal. Mas hoje sabe-se o seu nome e onde estão — as suas campas estão pintadas e cuidadas, e por isso se destacam no cemitério da capital do país.