Cabos submarinos que ligam o mundo à Internet: a nova competição geopolítica que a UE está a perder

De acordo com um relatório do European Council on Foreign Relations, o sector das infra-estruturas tecnológicas é determinante na “protecção de dados, no desenvolvimento económico e nas relações diplomáticas entre países”.

Foto
Cabos para o transporte de gás ou petróleo não são os únicos activos submarinos no Mar Mediterrâneo AMIR COHEN/Reuters

Os cabos submarinos são as veias do tráfego da Internet e impulsionam o desenvolvimento económico. São, por isso, um crescente foco de competição entre países, à semelhança do gás ou do petróleo. Nesta corrida, a União Europeia (UE) pode perder a oportunidade de conquistar uma posição dominante no sector, particularmente na região do Mediterrâneo, se não delinear uma estratégia conjunta para responder aos desafios tecnológicos, diz um relatório publicado esta quarta-feira pelo think tank European Council on Foreign Relations (ECFR).