Rio Ave-Sporting: um objectivo de cada vez

“Leões” podem garantir em Vila do Conde a entrada directa na fase de grupos da Liga dos Campeões. Rúben Amorim vai cumprir o sétimo jogo de suspensão longe do banco.

Foto
Houve empate (1-1) no Sporting-Rio Ave da primeira volta em Alvalade REUTERS/Pedro Nunes

Por esta altura do campeonato, quase que se poderia considerar Rúben Amorim um treinador de bancada, tal é o número de jogos que o técnico do Sporting tem estado longe do banco de suplentes. Nesta quarta-feira, Amorim vai conhecer de perto a bancada do Estádio dos Arcos, em Vila do Conde – é lá que vai estar durante o Rio Ave-Sporting (21h15, SPTV1), a cumprir o seu sétimo jogo longe do banco está época, depois de ter sido punido com mais seis dias de suspensão pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF). E será, até ver (porque haverá um recurso para o TAD), com o seu treinador à distância que o Sporting irá tentar garantir já a entrada directa na Liga dos Campeões da próxima época.

O líder do campeonato tem-se dado bem com o seu treinador na bancada. Em Dezembro do ano passado, os “leões” somaram três vitórias nos três jogos em que Amorim esteve longe do banco (Paços de Ferreira, Mafra e Farense) e, em Abril deste ano, os “leões” conseguiram duas vitórias (Farense e Sp. Braga) e um empate (Belenenses SAD) durante nova suspensão do técnico, para além de terem ganho a final da Taça da Liga frente ao Sp. Braga com Amorim (e Carlos Carvalhal) expulso a partir dos 33’. Amorim já tinha sido expulso ao intervalo no 2-2 entre Sporting e FC Porto de Outubro passado, um jogo pelo qual recebeu mais este castigo de seis dias e que eleva o número de dias em que esteve suspenso para 42.

Se antes Amorim tinha feito mea culpa pelo seu comportamento que provocou as múltiplas suspensões, desta vez o técnico do Sporting respondeu com um “sem comentários” que não foi propriamente inócuo. “Não vou comentar. É tão claro que mais vale não dizer nada, a única maneira de responder é ganhar os jogos. O que temos de fazer é focar no jogo e em vencer. O foco tem de ser esse, pensar no Rio Ave, como é que vamos ganhar, como é que os vamos bloquear, e como é que vamos fazer golos. Temos condições para vencer o Rio Ave com ou sem o treinador no banco”, referiu o técnico.

Champions à vista

À entrada para a 31.ª jornada, o Sporting segue isolado e invicto na frente, a depender apenas de si próprio para ser campeão, com os seis pontos que tem de vantagem sobre o FC Porto. Mas esse não é o objectivo que o Sporting pode alcançar nesta visita a Vila do Conde. Uma vitória neste jogo e o Sporting garante a entrada directa na Liga dos Campeões da próxima temporada, independentemente do que acontecer no “clássico” do dia seguinte na Luz entre Benfica e FC Porto.

É claro que o resultado desse jogo partindo do princípio que o Sporting vence em Vila do Conde, pode acelerar a caminhada “leonina” do título – uma derrota portista na Luz deixa o Sporting a precisar de apenas um ponto na ronda seguinte com o Boavista. Mas Amorim só pensa no objectivo que está à sua frente, que é a qualificação para a Champions, algo que o Sporting não consegue desde 2018. “Queremos a Champions, que é o que podemos garantir já”, reforçou Amorim que não poderá contar com Pedro Porro para Vila do Conde, baixa de última hora a juntar às ausências de Tabata e Tiago Tomás.

Empate na primeira volta

Bem fornecido com muitos ex-Sporting, como Francisco Geraldes, Fábio Coentrão, Carlos Mané, Rafael Camacho (que não irá defrontar o Sporting) e Gélson Dala, o Rio Ave é uma das cinco equipas que já conseguiu roubar pontos ao líder esta época. Aconteceu em Janeiro, à 14.ª jornada, com um empate (1-1) em Alvalade com Dala a nivelar o marcador após Pedro Gonçalves ter colocado os “leões” em vantagem. Mas essa foi uma proeza de pouco significado para o Rio Ave que já vai em três treinadores esta época (Mário Silva, Pedro Cunha e Miguel Cardoso) e que navega bem próximo da zona de despromoção – está em 15.º, com 31 pontos, dois pontos acima do Boavista (16.º, lugar que conduz a um play-off) e quatro acima do Farense (17.º).

Sem ganhar há oito jogos, Miguel Cardoso, que assumiu a equipa à 16.ª jornada nesta sua segunda passagem pelo clube, acredita que a sua equipa vai conseguir transformar em pontos os bons sinais mostrados em campo: “A equipa não tem acumulado os resultados que queríamos, mas tem dado respostas nesse sentido muito positivas. É com essa energia, que ainda no último jogo se viu, que vamos entrar em campo. Também temos mais-valias e é fundamental que elas apareçam”, garantiu.