Lisboa e Vale do Tejo: “Para uma região de 3,5 milhões de habitantes temos 84 médicos de saúde pública”

Há défice de profissionais e “muita dificuldade em substituir os que estão a chegar à fase de reforma”, o delegado regional de saúde pública de Lisboa e Vale do Tejo. Em entrevista ao PÚBLICO, António Carlos da Silva fala da necessidade da valorização da especialidade, “que não é só monetária, são também cursos”.

Foto

“A saúde pública aparece sempre nos momentos difíceis, mas depois rapidamente se esquece”, diz o delegado regional de saúde pública de Lisboa e Vale do Tejo. Em entrevista ao PÚBLICO, António Carlos da Silva lembra que as pandemias são cíclicas e que esta mostrou que a prevenção e a promoção da saúde têm de estar sempre em cima da mesa. Mas há um défice de profissionais e muitos deles têm mais de 60 anos. Fala da necessidade da valorização da especialidade, “que não é só monetária, são também cursos”.