Director da PJ diz que PJM sabia desde o início que Paulino era o suspeito do furto em Tancos

O director nacional da Polícia Judiciária, Luís Neves, era à data director da Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo da PJ. Nesta terça-feira, começou a ser ouvido como testemunha no julgamento dos 23 arguidos de Tancos.

Foto
Luís Neves foi director da Unidade Nacional de Combate ao Terrorismo da PJ Daniel Rocha

Na aproximação feita ao informador João Paulino através de dois elementos da GNR para recuperar o material roubado em Tancos, a equipa de investigação da Polícia Judiciária Militar (PJM) “sabia que este informador era o principal suspeito” do assalto de Junho de 2017.