Marcelo volta à estrada e aos afectos

O Presidente da República retoma na próxima semana os roteiros de proximidade, visitando o Minho e semanas depois o Alentejo litoral, atento à situação de Odemira.

Foto
Até voltar à Madeira para o 10 de Junho, Marcelo tem uma agenda de viagens cheia LUSA/HOMEM DE GOUVEIA

Podem não voltar a chamar-se “Portugal Próximo”, devido à pandemia, mas o Presidente da República vai voltar à estrada para completar os roteiros de proximidade que começou no primeiro mandato e visitar concelhos onde ainda não esteve oficialmente. Já na próxima semana deverá rumar ao Minho e está a preparar para Junho a visita ao Alentejo litoral, onde neste momento há duas freguesias com cercas sanitárias devido a focos de covid-19, sobretudo entre trabalhadores migrantes.

Marcelo Rebelo de Sousa tem acompanhado de perto a situação e, segundo o Expresso, pediu às suas assessorias “relatórios” sobre a situação laboral e epidemiológica dos imigrantes que vivem e trabalham no concelho de Odemira em condições degradantes para preparar essa visita.

No plano externo, o Chefe de Estado vai em visita oficial à Guiné-Bissau a 17 e 18 de Maio. Aí, além dos contactos com entidades oficiais, terá encontros com representantes da comunidade portuguesa e visitará o cemitério municipal, onde estão sepultados cerca de 400 combatentes portugueses da Guerra Colonial.

No final do mês deverá visitar a Eslovénia, país que sucede a Portugal na Presidência rotativa do Conselho da União Europeia, seguindo-se depois as comemorações do 10 de Junho no Funchal e em Bruxelas (Bélgica), se a situação pandémica o permitir.