O Tribunal de Contas condenou o regime

O caso Novo Banco é uma história de falta de transparência, de falta de rigor, de complacência, de negligência que se desenvolveu e desenvolve no coração do regime.

Agora, o filme de terror do Novo Banco (NB) já não pode ser suavizado pelas palavras inescrutáveis dos consultores nem os seus episódios negados com comunicados lançados contra o PÚBLICO ou contra os deputados que, inquérito após inquérito, procuram perceber o enredo. Agora, o filme de terror que assusta o PSD e o PS, o governador do Banco de Portugal actual e o anterior, o Fundo de Resolução e a administração do Novo Banco tem a classificação certificada pelo Tribunal de Contas (TdC). Não para pessoas sensíveis, nem para menores, nem para o horário nobre. O que já se sabia pelas reportagens de investigação da jornalista Cristina Ferreira neste jornal ficou plasmado e assumido numa auditoria do TdC. O caso NB é uma história de falta de transparência, de falta de rigor, de complacência, de negligência que se desenvolveu e desenvolve no coração do regime.