Rúben Amorim suspenso por seis dias. Recurso mantém treinador no banco

Declarações após jogo contra o FC Porto, em Outubro de 2020, motivaram sanção. “Leões” dizem que existiu “uma súbita urgência com seis meses de atraso”, mas PÚBLICO apurou que atraso se deveu, em parte, à suspensão de prazos processuais motivada pelo estado de emergência.

Foto
Rúben Amorim, treinador do Sporting LUSA/EDUARDO COSTA

Terá sido por palavras dirigidas durante o jogo da primeira volta contra o FC Porto, em Outubro de 2020, que o treinador Rúben Amorim foi novamente suspenso do comando técnico dos “leões”. O castigo de seis dias aplicado pelo Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) foi revelado esta terça-feira de manhã pelo Sporting em comunicado, com o clube de Alvalade a considerar que a decisão foi tomada com uma “súbita urgência com seis meses de atraso”. Rúben Amorim poderá, contudo, sentar-se no banco de suplentes no jogo desta quarta-feira frente ao Rio Ave, pelo facto de o Tribunal Administrativo do Sul ter aceitado a providência cautelar movida pelos “leões”. 

De acordo com as informações recolhidas pelo PÚBLICO junto de fonte próxima ao processo, o atraso na decisão do CD foi motivada pelo estado de emergência, que implicou a suspensão dos prazos processuais. O processo disciplinar foi aberto no dia 9 de Janeiro, mas a audiência apenas aconteceria a 21 de Abril, com o Sporting a não aceder à realização da audiência no dia 1 de Março, data inicialmente prevista para este procedimento. Estas reuniões apenas podem ocorrer se existir acordo de ambas as partes. 

De acordo com os “leões”, a suspensão de seis dias foi motivado por declarações em que Rúben Amorim, comentando a sua expulsão no clássico, considera que o árbitro Luís Godinho deveria ter mostrado o cartão vermelho a um elemento do banco do FC Porto, o técnico Sérgio Conceição, por ter assumido “comportamento semelhante”. 

“Trata-se de uma deliberação injusta, desproporcional e que expõe a justiça desportiva ao julgamento óbvio: as declarações do nosso treinador, no contexto em foram proferidas, não têm qualquer relevância quando comparadas com outras atitudes de outros agentes desportivos”, escreve o Sporting, que protesta o castigo aplicado ao treinador.

O clube garante que a instrutora do processo disciplinar foi ignorada pelo CD, depois de ter proposto o arquivamento dos autos. 

Esta quinta-feira defrontam-se ainda Benfica e FC Porto, no Estádio da Luz, num clássico potencialmente determinante para as contas do título.

Notícia actualizada às 15h09 do dia 5 de Maio: acrescentada informação sobre o castigo de Rúben Amorim