Carvalhal dá nota elevada à época do Sp. Braga

Minhotos vêm de duas derrotas seguidas e tentam regressar às vitórias na partida com o Paços de Ferreira, da 31.ª jornada da I Liga.

Foto
Carlos Carvalhal, treinador do Sporting de Braga HUGO DELGADO/LUSA

É entre o “bom e o excelente” que Carlos Carvalhal avaliou a época do Sporting de Braga, na véspera da recepção ao Paços de Ferreira (19h), em jogo da 31.ª jornada da Liga de futebol, após duas derrotas consecutivas frente ao Sporting e ao Marítimo. Reconhecendo também que nem tudo foi bom, o treinador dos bracarenses acredita que a equipa estará focada no jogo de hoje apesar de estar mais longe da luta pelo acesso à fase preliminar da Liga dos Campeões.

É nisso que acredita, não só pelo que vê nos treinos mas também porque os minhotos têm ainda uma final por jogar. “Noto muita ambição na equipa, os treinos têm sido muito intensos, ao que não será alheio o facto de termos um título para disputar, a Taça de Portugal, o segundo título mais importante da época. Todos os jogadores querem estar bem para estarem na final e isso ajuda também”, observou. Carvalhal falou ainda do caso Sporar, que agitou o clube e os adeptos ao deixar um comentário na página do jogador do Sporting Feddal numa rede social, após o triunfo dos “leões” frente ao Nacional na última jornada. Diz o treinador que Sporar “furou o regulamento interno do clube” e foi punido. 

Al Musrati, castigado, é a grande ausência nos minhotos frente ao Paços de Ferreira, que também luta por um lugar europeu e quer já acabar com essa indefinição. Não admira, por isso, que Pepa, técnico dos pacenses, fale também com ambição: “Estou com uma confiança tremenda em como vamos atingir as competições europeias e, mais do que a motivação extra de o conseguir, é perceber que estamos a uma vitória de o conseguir. Não há nada melhor do que depender de nós e não queremos mais estar à espera, sabendo que vamos encontrar uma equipa muito difícil.”

Pepa não pode contar com Luther Singh (cedido pelo Sp. Braga), Fernando Fonseca e Hélder Ferreira, castigados, e Suahele e Diaby, lesionados, mas este Paços, como disse, quer “ficar na história do clube”.