Um trabalhador não é uma alfaia

Há que quebrar duas cadeias de contágio em Odemira. A primeira é mais fácil e imediata: o contágio da covid-19. A segunda não é menos urgente: eliminar as novas formas de escravatura.

A elevada incidência do número de infectados entre os trabalhadores migrantes do sector agrícola de Odemira não é somente um caso de saúde pública. Sem covid-19, os migrantes continuariam invisíveis, como é bom de ver. Até aqui de nada terão valido as várias denúncias feitas por associações, e até pelo presidente da câmara municipal, junto das instituições competentes.