Maia muda tarifa do lixo. Quem reciclar mais paga menos

Sistema tarifário dos resíduos vai ser desligado do da água, para introduzir mais “justiça” e pôr em prática o princípio do poluidor-pagador, num concelho que já é o campeão da reciclagem.

Foto
A Maia consegue medir quantos resíduos indiferenciados cada família produz

Viviana Batista tem a reciclagem nos genes. O pai, que aprendera a separar resíduos nos anos em que este emigrado no Luxemburgo, trouxe o hábito para Portugal, influenciando a filha. A tal ponto que, para esta moradora de Moreira da Maia, separar embalagens não chega. Tenta reduzir o “lixo” que faz, mexer com os seus hábitos de consumo. Vive de boa consciência com isso mas, na carteira, não se nota. Tal como no resto do país, no município com melhores índices de separação de resíduos quem colabora para pôr a Maia nas notícias pelo excelente desempenho ambiental paga tanto, no final do mês, quanto os que nada contribuem para isso. Uma injustiça que a autarquia começa, hoje, a reparar.