Breve viagem à cabeça de Miguel Sousa Tavares

Nunca é tarde demais para perceber que às vezes nos enganamos redondamente sobre o carácter de pessoas de quem um dia gostámos muito.

Um dos livros mais importantes da última década chama-se Pensar, Depressa e Devagar (está editado em Portugal pela Temas e Debates) e foi escrito por Daniel Kahneman, prémio Nobel da Economia em 2002, e um dos grandes especialistas mundiais em ciência cognitiva e nos processos de tomada de decisão. O livro desenvolve a tese de que a nossa mente está dividida em dois sistemas: o Sistema 1, que “opera automática e rapidamente, com pouco ou nenhum esforço” (daí o pensar depressa); e o Sistema 2, que “distribui a atenção pelas actividades mentais esforçadas que a exigem, incluindo os cálculos complexos” (daí o pensar devagar).