Viva as pandemias!

Apesar de ser um ferrenho construtor do efémero num mundo em constante movimento, o jornalista é também um animal de hábitos…

Perdoem-me os leitores a aparente contradição, mas vou escrever sobre a pandemia para defender que a imprensa fala dela em demasia… Partilho neste ponto o sentimento de alguns leitores que afirmam não suportar mais as doses maciças de informação que lhes são injectadas – é caso para o dizer… – diariamente pelo conjunto dos media. Estão saturados, qual esponja que, de tão ensopada, perdeu a capacidade de absorver uma gota mais que seja de um qualquer líquido. Não podem mais. Alguns revoltam-se contra o seu jornal, outros ironizam, por vezes com um notável sentido de humor.