Santa Clara SAD penhorada e na mira da justiça

Envolvido no escândalo da falência da antiga empresa municipal Azores Parque e constituído arguido por crimes económicos, Rui Cordeiro recandidata-se à presidência do clube açoriano no sábado. Santander executa dívida e penhora receitas da SAD.

Foto
Rui Cordeiro vai a eleições no sábado, num momento de grave crise financeira do clube Eduardo Costa/Lusa

A boa temporada desportiva do Santa Clara contrasta drasticamente com a grave crise financeira que a Sociedade Anónima Desportiva (SAD) atravessa. Com os saldos bancários penhorados desde Dezembro pelo Santander, seu principal credor, por incumprimento do acordo de pagamento de parte de uma dívida de 5,5 milhões de euros, os açorianos foram ainda privados do subsídio de um milhão de euros do Governo Regional, assim como das futuras verbas a pagar pelo FC Porto pela transferência de Zaidu, na temporada passada. Os créditos das transmissões televisivas escaparam, porque foram cedidos à empresa Mystery Argument (agora designada de Bravos Açorianos), detida pela SAD e pelo clube.