Marcelo visita Açores e Madeira no fim-de-semana

Presidente da República efectua visita relâmpago às duas regiões autónomas.

Foto
Marcelo Rebelo de Sousa LUSA/MANUEL DE ALMEIDA

O Presidente da República visita este fim-de-semana as duas regiões autónomas, naquela que será primeira deslocação aos arquipélagos neste segundo mandato.

Marcelo Rebelo de Sousa, apurou o PÚBLICO, começa o périplo pelos Açores, onde chega na manhã de sábado, arrancando o dia com uma reunião com o representante da República na região autónoma, o embaixador Pedro Catarino. Ainda em São Miguel, o chefe de Estado almoça depois com o presidente do governo regional açoriano, José Manuel Bolieiro, deslocando-se durante a tarde à ilha do Faial, onde se reúne com os líderes parlamentares dos partidos com assento na Assembleia Legislativa dos Açores.

O Falcon da Força Aérea utilizado pela Presidência viaja depois para o Funchal, onde a comitiva presidencial tem chegada prevista para as 21h desse dia. No domingo, o Presidente da República replica a agenda da véspera. Começa por se reunir com o juiz conselheiro Ireneu Barreto, representante da República na Madeira, no Palácio de São Lourenço, e almoça depois com Miguel Albuquerque, líder do governo madeirense, na Quinta Vigia. À tarde, desloca-se ao parlamento regional para se reunir com os partidos, antes de regressar a Lisboa no final do dia.

A visita - que esteve inicialmente agendada para o início de Março, mas foi adiada devido ao vento forte que assolava a zona do aeroporto da Madeira, nessa data - serve para oficializar a recondução dos representantes da República nos dois arquipélagos.

Catarino e Barreto foram reconduzidos a 10 de Março para um segundo mandato de cinco anos, que coincide com a duração do mandato presidencial. A ideia de Marcelo, era fazê-lo presencialmente, mas o mau tempo impediu a viagem.

A presença de Marcelo na Madeira, adiantou quarta-feira, o chefe do executivo madeirense, será aproveitada para Albuquerque abordar dossiers pendentes com o Estado, como a revisão da Lei das Finanças Regionais, a revisão constitucional e a defesa do Centro Internacional de Negócios da Madeira.