“No Norte a insegurança é tal que já não se pode falar do controlo efectivo do Estado”

O Estado moçambicano não perdeu o controlo da sua província mais a Nordeste, mas o certo é que hoje já deixou de ter o controlo efectivo de partes do seu território, afirma o investigador Salvador Forquilha.

Foto
Moçambique Paulo Pimenta

Salvador Forquilha voltou ao terreno. O ex-director do Instituto de Estudos Sociais e Económicos (IESE) moçambicano está envolvido nos trabalhos de campo para a continuação do estudo sobre o estado da violência e desafios de desenvolvimento no Norte de Moçambique. Em Pemba, ele e outros investigadores do IESE estão a entrevistar pessoas que fugiram de Palma, à procura de perceber se os sinais para o ataque de 24 de Março já se viam antes. E a conclusão preliminar é que o que se viu em Palma, já se tinha visto em Mocímboa, onde a insurgência começou em 2017.